sexta-feira, 8 de março de 2013

LIVRO NEVER CAN SAY GOODBYE (BY KATHERINE JACSKON) - PARTE 7


A maioria das roupas e figurinos de Michael foram feitos (para ele) . Ele tinha o seu próprio estilista, que trabalhava em estreita colaboração com vários designers em seu guarda-roupa para as suas turnês, eventos e shows de premiação. Ele até fornecia esboços das roupas a ser feitas.

Embora abordado várias vezes para produzir sua própria grife de moda, ele simplesmente não manifestou interesse em tais projetos.

O vestuário era mais uma expressão pessoal e criativa de Michael. Sua cor preferida era o vermelho. Mas quando Michael estava fora do palco, seu senso de estilo era extremamente discreto. Era como a noite e o dia.

Independentemente disso, alguns de seus fãs e colegas copiavam sua sensibilidade da moda. Michael via a imitação de seu estilo e imagem como um elogio.

Os animais eram tão abundantes como a família em torno de nossa casa. Havia uma girafa que Michael chamou de Jabar, em referência ao jogador de basquete Karim Abdul Jabar. Michael também tinha uma lhama chamada Lola, como Lola Falona, ​​uma atriz bem conhecida.

Ele tinha dois cervos, Prince e Princess. E uma cobra chamada Muscles. Michael mantinha todos os animais em um santuário que ele construiu na propriedade de Encino. Todos, exceto um.

Durante anos, Michael pediu por um macaco de estimação. Naturalmente, eu recusei, até que um dia ele trouxe um chimpanzé bebê chamado Bubbles para casa. Bubbles era diferente dos outros animais que nós tínhamos.

Com um comportamento infantil, ele fazia sinal com os braços para que o pegássemos. Sua inteligência era evidente na maneira como ele brincava e provocava os cães que mantínhamos no jardim. Bubbles vivia e dormia no quarto de Michael, ele era uma parte muito importante da família. Você nunca saberia que havia qualquer animal na propriedade, porque Michael mantinha a área onde viviam em estado impecável.

Uma equipe com mais de duzentas pessoas garantiam que esse padrão fosse mantido no santuário animal no rancho Neverland, anos mais tarde.

Se Michael estivesse aqui hoje, eu sei que ele estaria tentando uma nova carreira na direção de filmes. Ele estava estudando em particular com um professor do estado da Califórnia, que também ofereceu o seu tempo para ensinar ao filho mais velho de Michael, Prince Michael Joseph Jackson, a arte de direção de cinema.

A maioria das pessoas não está ciente das origens dos nomes dos filhos de Michael, que na verdade, derivaram de seu avô. Quando Michael era mais jovem, ele passou um tempo com o meu pai, Prince, em Indiana. Os filhos de Michael, Prince Michael Joseph Jackson e Prince Michael Jackson (Blanket) receberam o seu nome.

Muito antes de Neverland, Michael construiu uma loja de doces e um playground na nossa propriedade Encino. A loja estava sempre cheia de sorvetes e guloseimas. Todas as suas sobrinhas, sobrinhos e crianças do bairro vinham para casa para brincar. Lembro-me de aproveitar também, embora eu sempre ficasse frustrada porque.

Michael, sendo um comedor exigente, sempre resistia à tentação de comer doces. Ele estava feliz apenas em dar, em ver os sorrisos nos rostos das crianças pequenas. Michael era um grande garoto dentro de si e em visitas de familiares, muitas vezes, ele passava seu tempo brincando de esconde-esconde com seus primos. Parecia que ele procurava compensar a infância, ele sentia como se ele nunca a tivesse tido.

Desfrutando de magia como sempre fazia, Michael sempre foi um fã de fantasia e encantamento. Admirava vários mágicos ao longo dos anos e incorporou elementos destes em seus shows. Ele também era um cinéfilo, especialmente de fantasia e ficção científica.

Se há uma coisa da qual eu tenho certeza, é o quanto meu filho amava seus fãs. Nunca me esqueço do ano em que Michael foi confrontado com o julgamento. Todas as manhãs saíamos juntos do rancho para irmos ao tribunal.

Sem exceção, os fãs se concentraram na porta do rancho para mostrar seu apoio com as canções, presentes e orações. Michael e eu nos emocionávamos vendo os versículos da Bíblia e as expressões das palavras de carinho, amor e encorajamento oferecidos para ele manter-se forte, durante os tempos difíceis que enfrentou. Essa era toda a força que eu precisava.

Havia uma multidão de pessoas que seguia cada passo, algo que não perturbava a Michael. Uma regra que era sempre colocada ao pessoal da segurança era 'sempre tratar bem os fãs!'

Quando Michael estava vivendo em casa, havia sempre muitas pessoas à porta. Ocasionalmente, um fã entrava no quintal para ver Michael. Às vezes, eles sequer chegavam à casa. Quando isso acontecia, Michael sempre mantinha a calma, sendo agradável e educado. Ele era muito grato a seus fãs e reconhecia que ele não teria se tornado quem ele era sem o seu amor e apoio.

Fiquei perto do meu filho durante sua vida. Nossos laços foram fortalecidos depois que seu irmão saiu de casa e foram reforçados durante as acusações. Michael sabia que ele precisava de mim tanto quanto de seus fãs na época, então eu não deixei de estar ao seu lado.

Quando ele criava música é quando ele se sentia em seu elemento. Colhia seus sentimentos intuitivos e realmente confiava e acreditava em si mesmo. Ele realmente era um grande pensador, um sonhador e, de alguma forma, tinha a crença de que nunca poderia falhar se você colocasse amor em seu trabalho.

Tradução: Rosane - blog Cartas Para Michael

VOLTAR PARA:

2 comentários:

  1. Sabe o que me chamou a atenção na imagem dessa postagem? A ''braçadeira'' na manga da roupa de Michael. Era uma época na qual Michael Bush ainda não a tinha incluído em suas jaquetas. (A foto é na ocasião da revisão do livro Moonwalk)

    ResponderExcluir
  2. E é linda né?

    Amei também a foto ser branca e preta.

    ResponderExcluir