sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

LIVRO MY FAMILY, THE JACKSON'S - CAPÍTULO 17 (BY KATHERINE JACKSON)


''O elevado perfil de Michael em 1988 manteve as horas extras nas fábrica de fofocas. As histórias mais e mais loucas:

"Michael Jackson bombeia a água francesa Fantasy na casa inteira" ... "Chimpanzé de Michael Jackson recebe US $ Milhões por sua vontade" ... "Michael Jackson e Ringo Starr - ambos afirmam ter visto o espírito de John Lennon!"

Mas o vencedor no concurso de ficção escrita dos tabloides foi o artigo intitulado "Centenas de fãs estão perguntando.... Michael Jackson está morto?"

O autor do artigo colocava pares de fotografias (com a mudança na aparência física de Michael ao longo dos anos, além de sua mudança de imagem) no total de seis. Eu só podia balançar a cabeça e rir com as tentativas desavergonhadas dos tabloides para vender jornais.

Eu não estava rindo, no entanto, depois que eu peguei uma cópia  da revista People de 08 de agosto e li a sua descrição sobre a família Jackson.

"Katherine e Joe Jackson se encontram fora de contato - e muitas vezes em desacordo - com a maioria de sua ninhada notável", a revista afirmava. 

O artigo passou a retratar uma divisão da família Jackson, dilacerada por brigas internas, intriga e ciúme, "para abastecer o enredo de Dynasty por mais oito temporadas."

"Portanto, agora a imprensa se cansou de focar Michael e declara aberta a temporada de caça à toda família", disse eu.

Adicionando credibilidade às acusações da revista estavam citações de Joe, que eram críticas a Michael.

"Nós queremos saber por que as coisas mudaram da forma como mudaram, por que [Michael] não parece se preocupar com sua família", Joe disse à People. "As poucas vezes que falei com ele, ele parece feliz em nos ouvir. Mas quando você fala com outras pessoas, dizem que Michael não quer se envolver com a sua família."

Eu não concordo com tudo o que diz Joe Jackson, e eu não concordo com o seu retrato de um Michael afastado da família. Michael tinha estado na estrada ao longo de quase um ano. Eu acho que Joe lamentou suas palavras, também.

A família Jackson não vivia em uma terra de conto de fadas isenta de tensões, em 1988. Como qualquer família grande, nós tivemos a nossa quota de problemas. Por exemplo, a relação de Joe com Michael em 1988 não era tão boa como eu acho que poderia e deveria ter sido.

Eu li a queixa de Joe sobre Michael mais como um grito de frustração do que qualquer outra coisa. Para descobrir o que torna uma pessoa rabugenta, eu acho que você tem que olhar para os seus anos de formação. Fui criada por dois pais rigorosos, ainda que amorosos. 

Joe, por outro lado, foi criado por dois pais rigorosos. A julgar pelas vezes que ouvi Sam Jackson e Chrystal proferir as palavras "eu te amo" - zero - Joe não as ouviu muitas vezes, isso se alguma vez, quando ele estava crescendo.

Sam Jackson mostrou o seu amor por Joe, eu e os netos só nas pequenas coisas que ele faria por nós em Gary: remendando calças de meus filhos, ou comprando vários pares de calças para mim, depois de me ver usando um vestido no frio, no ponto de ônibus.

Tendo sido nutrida e amada, é uma segunda natureza para mim expressar meu amor a meus filhos. Eu não posso sair do telefone com qualquer um deles sem dizer "eu te amo". Mas Joe não pode se abrir com seus filhos, apesar de que compartilhar sentimentos pessoais é a única maneira de fazer um relacionamento crescer.

Ironicamente, eu ouvi Joe dizer a seus amigos como ele é afeiçoado às crianças, como ele se sente protetor em relação a eles.

"Diga isso aos seus filhos aos invés dos amigos!" Eu implorei.

Mas Joe respondeu teimosamente: "Eles sabem."

Joe demonstrou sua afeição a um de seus filhos, Jermaine, no início de 1988, quando eu me opus, por razões morais, ao pedido de Jermaine pela autorização de sua permanência temporária em nossa casa com sua namorada Margaret Maldonado e seu filho, Jeremy, após o seu divórcio de Hazel.

"Kate, ele é meu filho e eu estou dando a ele permissão", anunciou Joe. "Eu assumo total responsabilidade por permitir que ele volte." (Jermaine ficou em casa até junho de 1989, quando Margaret, Jeremy e Jourdyn, que nasceu em janeiro do mesmo ano, mudaram-se para um apartamento em Beverly Hills.)

Não muito tempo depois de Jermaine voltar a morar, LaToya se mudou, tornando sua separação profissional de Joe bem divulgada. Isso, mais a sua decisão de posar para a Playboy e escrever um livro "contando tudo" sobre a família foram os maiores traumas para os Jacksons em 1988.

Apesar desses problemas, eu acho que qualquer pessoa que realmente conhecia os Jacksons em 1988 viu uma família que era muito mais unida do que a revista People queria fazer crer.

Quanto à acusação de que eu, assim como Joe, estávamos ''fora de contato" com os nossos filhos, o momento da publicação do artigo foi irônico. Naquela semana, Janet, uma das ''crianças'' com as quais Joe e eu supostamente estávamos "lutando" para manter boas relações, apareceu em casa com dois elefantes de cristal que ela comprou para mim em Londres um par de dias antes (eu tenho uma coleção de elefantes).

Embora fosse verdade que ela tenha decidido tomar mais de uma mão em sua própria gestão em 1988, reduzindo assim seus laços profissionais com Joe, ela mostrou seu agradecimento a seu pai por sua ajuda ao longo dos anos, informando-me que "eu vou nunca parar de dar a Joe seu percentual. Eu só quero fazer isso."

As pessoas no mundo da música sabem a verdade sobre a minha relação com os meus filhos. Quando um executivo de gravadora ou um parceiro de negócios tem dificuldade em chegar a um dos filhos, eles geralmente tentam fazer contato através de mim.

Além disso, eu sou freqüentemente solicitada a me aproximar de um filho específico com uma proposta de negócio. Se eu achar que a proposta tem o mérito, eu a apresento.

(No entanto, eu tenho muito cuidado para não fazer isso com muita freqüência. Eu não quero que eles comecem a pensar... ''Uh-oh, lá vem a mãe novamente, tentando nos convencer a fazer alguma coisa.'')

Os filhos que vivem em Los Angeles visitavam a casa regularmente em 1988, o suficiente para Rebbie se referir à casa como "um posto de gasolina.... Você se abastece sobre o que está acontecendo, e depois volta quando você quiser saber mais."

A maioria não viajou para longe. Tito e sua família vivem apenas até a estrada de Joe em uma casa de estilo espanhol definida em um morro de quatro hectares. Marlon e sua família vivem ao virar da esquina em uma casa de estilo Tudor Inglês que foi destaque na (revista) Ebony.

Jackie vive em um condomínio que temos na vizinha Van Nuys. Janet e Randy vivem em condomínios nas proximidades de Bel-Air e Westwood, respectivamente. Jermaine mora um pouco mais longe do que eles, em Beverly Hills.

Na verdade, fora Michael, o único filho que ''trocou'' de casa é Rebbie. Ela vive com sua família em uma confortável casa de dois andares em Agoura, a cerca de 30 minutos.

Dos meus filhos que vivem na área de Los Angeles, o único que eu não iria ver por semanas em um tempo era o independente Randy. Se eu começasse a sentir a falta dele, eu o chamava.

"Randy, você ainda tem uma mãe e um pai que te amam", eu gentilmente o lembrava.

"Ok, mãe, eu vou te ver!" E ele o fazia.

Nas minhas vezes um-a-um com meus filhos, por sua vez, fizemos uma gama de atividades.

Jackie e a família fã de esportes tentaram me encorajar a desenvolver o meu próprio interesse no esporte. Ele e meu sobrinho Tony me ensinaram a seguir um jogo de futebol na televisão. Jackie também me convidou para uma série de jogos de basquete dos Lakers, ele tem ingressos para a temporada.

Eu também participei de um jogo dos Lakers com Marlon que tem ingressos para a temporada, também. Mas os meus momentos favoritos com ele foram gastos em discussões filosóficas, sobre a vida e Deus. Marlon é um pensador profundo.

Falei também com freqüência para Rebbie sobre Deus e Seus ensinamentos, Rebbie continua a ser uma Testemunha de Jeová devota como eu. Mas também partilhávamos um interesse "light": decoração de interiores. Rebbie fez um monte de redecoração de sua casa em Agoura em 1988 e saímos às compras juntas, de vez em quando.

Janet é uma ávida jogadora. Ela, o namorado Rene Elizondo, meu sobrinho Tony e eu passamos um número de noites jogando Pictionary e Scrabble na saleta. Jermaine é um cinéfilo. Ele colocou suas mãos em muitas estreias em 1988 e convidou-me e quem mais estivesse por perto para vê-los com ele em nosso teatro.

Porque eu via Randy raramente em 1988, nossos momentos juntos foram gastos principalmente falando nas casas. Aludindo aos seus investimentos imobiliários - Condomínio Westwood, a casa em Beverly Hills, o estúdio de gravação e a casa de praia - eu gostava de provocá-lo.

"Randy", eu dizia, "você é o menino e aqui você está tentando ser um homem de negócios. Você provavelmente não sabe mesmo o que você está fazendo." Randy tem um bom senso de humor, então eu sei que eu posso brincar assim.

Eu também não vi Tito tão freqüentemente, como muitos dos outros, em 1988. Quando não estava trabalhando em seu estúdio em casa, ele estava restaurando um de seu Models A ou sua Mercedes vintage. E quando ele não estava fazendo isso, ele estava fora com sua família em Big Bear, onde ele tem uma cabana, ou em Oxnard, onde ele tem um apartamento à beira-mar.

Mas os tempos que passamos juntos foi muito significativo, porque Tito normalmente me procurava sempre que ele estava machucando ou confuso sobre um assunto em sua vida pessoal ou profissional.

Tito: ''Minha mãe é uma das poucas pessoas em minha vida a quem eu posso contar tudo. É só o jeito que ela ouve e compreende. Suas vibrações são muito boas.''

Jermaine: ''Uma das coisas que nos mantém voltando para ela é o fato de que ela nunca demonstrou qualquer favoritismo. Das crianças de maior sucesso para os que são "baixo no totem", ela nos trata a todos iguais. É como se ainda estivéssemos vivendo em Gary.''

Os filhos não estavam "em desacordo e fora de contato" uns com os outros e comigo em 1988, apesar da acusação da People que a família Jackson estava destroçada pelo "ciúme entre irmãos".

Rebbie: ''Como a filha que ganhou a menor quantidade de dinheiro no show business, eu teria mais motivos do que qualquer um dos meus irmãos ou irmãs para sentir ciúmes. Mas eu não sinto. Depois que me mudei para a Califórnia, eu amava mostrar as bonitas casas dos meus irmãos para os amigos que vinham me visitar. Minha atitude na época era que eu sentia orgulho apenas por ser sua irmã. Eu ainda me sinto assim. Eu estou perto de meus irmãos, e eu sinceramente não vejo qualquer ciúme entre eles, também. Eu acho que essas acusações de "ciúme entre irmãos" surgiram porque a imprensa só assume que tem de haver algum porque Michael era tão extraordinariamente bem sucedido. Mas, supondo que algo não se faz assim.''

Jackie: ''Eu estou feliz por meu irmão vender todos aqueles álbuns. Espero que ele venda uma centena de milhões. Ele está apenas abrindo o caminho para o resto de nós.''

Na verdade, Michael fez questão de estender a mão para ajudar seus irmãos e irmãs. Sua oferta para escrever e produzir uma música para Rebbie, por exemplo, a ajudou a conseguir um contrato de gravação com a CBS Records em 1984 (Centipede, a canção com a qual ele contribuiu para o seu álbum de estreia, tornou-se a canção-título do LP, bem como um sucesso do Top Forty).

Ele ajudou a Jackie obtendo permissão da CBS para ele gravar um álbum solo para a Polygram Records. E ele realmente foi para rebater a CBS para Marlon, depois que ele anunciou sua decisão de deixar os Jacksons e a Epic Records em 1985. Michael conseguiu obter a sua libertação depois que a Epic recusou o pedido do próprio Marlon, permitindo assim a oportunidade de seguir uma carreira de tempo integral de gravação solo.

Rebbie: ''Quanto à acusação relacionada à rivalidade entre irmãos em nossa família, eu acredito que a imprensa tem confundido a competitividade com o desejo de nossos pais em sermos bem sucedidos.'' 

Marlon: ''Uma coisa sobre ser uma estrela mirim é que algumas pessoas não estão dispostas a te ver se tornar um adulto. Eles o veem embarcando em uma carreira solo após a gravação exclusivamente com seus irmãos há anos, e se referem ao que você fez como uma "ruptura". Eles não reconhecem o seu direito de crescer. Mas se não há profundidade, não há destino. Todo mundo tem o direito de fazer o que quiser na vida.''

Tito: ''E nós não brigamos uns com os outros, a imprensa fez essa acusação relacionada. Na verdade, se qualquer dos irmãos levanta um argumento, não podemos deixar a sala sem participar.''

Jermaine: ''Você quer saber qual é a linha de fundo? Os Jacksons são uma família que permanecerá. Você tem manter a unidade.''

Há duas tradições da família Jackson que evidenciam a unidade.

Um delas é o Encontro da Família realizado na saleta ou na sala de troféus lá embaixo. As reuniões são realizadas para discutir negócios ou assuntos pessoais que surgem afetando um ou mais de nós. Qualquer um dos Jacksons pode solicitar uma.

Em 1988, Randy pediu uma reunião de família porque alguém no negócio tinha sido "mal falado" e ele estava chateado.

"Por que ele iria convocar uma reunião sobre isso?" O resto de nós se perguntou. "As pessoas ruins falam mal da gente o tempo todo, no negócio.'' Mas Randy estava magoado e ele queria compartilhar seus sentimentos com a gente. Então nos encontramos e escutamos.

Em 1988 também convocamos uma reunião de família para discutir um tema que era de grande preocupação para todos nós: LaToya. Grande parte da reunião foi gasta na elaboração de abordagens que poderíamos fazer com ela, na tentativa de persuadi-la a deixar a companhia de seu empresário Jack Gordon e voltar para casa, para nós.

A outra tradição dos Jacksons é o Dia da Família. Limitado a Joe e a mim, as crianças e os netos. O Dia da Família é pouco mais do que o seu churrasco à moda antiga, com talvez um filme para o entretenimento. Conversas sobre negócios são desencorajadas.

Dia da Família é um momento para os Jacksons largarem o seu trabalho, esquecerem as suas preocupações e serem uma família novamente. Joe e eu e um par de filhos hospedamos o Dia da Família em 1988.

Minha visão sobre a família Jackson em 1988 não estaria completa sem um comentário sobre Joe e meu relacionamento.

A revista People fez menção à nossa crise, bem como aos rumores do ''Joe mulherengo''. No entanto, o escritor do artigo estava contente por Joe dar a sua palavra final sobre nós: "Nós sobrevivemos. Nós nos amamos e temos filhos. É por isso que estamos juntos." Essa foi uma das citações de Joe à People com a qual eu concordava.

Isso não quer dizer que em 1988 eu tinha superado totalmente minha dor profunda em sua infidelidade, porque eu não tinha. Quando os pensamentos dolorosos surgiam, eu lidava com eles. Mas, principalmente, eu era capaz de manter um foco positivo. Deus sabe que eu tenho muito a agradecer na minha vida.

Eu tinha detectado uma mudança em Joe em 1988, uma espécie de amadurecimento. Enquanto ele ainda tinha vários projetos de negócios na linha de frente, ele estava contente de ficar em casa muito mais do que no passado.

Ele também encontrou tempo para fazer coisas que ele não havia feito em anos: preparar as refeições na churrasqueira do quintal. Ele realmente me surpreendeu quando começou a fazer a cama de manhã.

Quando decidi comprar uma casa de fim de semana em Las Vegas em 1988, Joe insistiu em redecorar ele mesmo, o quarto de reposição junto à piscina. Depois de fazer isso, ele começou a falar sobre a plantação de uma horta.

Por mais difícil que fosse para Joe falar sobre seus sentimentos, me ocorreu que o seu trabalho em equipe em torno da casa foi a sua maneira sutil de me dizer que ele estava feliz por nós ainda estarmos juntos, depois de quase quatro décadas de casamento.

Eu não quero dar a impressão de que Joe tinha ''amaciado''. Ele ainda odiava ouvir "eu avisei" ou "Joe, eu lhe disse para não falar com a revista People". Ele ainda estava propenso ao mau humor. Às vezes, ele ainda ficava tão louco  por uma coisa ou outra que a sua testa aumentava e ele mudava de cor - uma dica de que eu deveria tirar o dia de folga e ir às compras.

Além disso, deixe registrado que Joe Jackson ainda tinha seu lado diabólico. No primeiro fim de semana em que nos hospedamos na nossa casa em Las Vegas, eu estava falando com uma amiga - Amelia Patterson - no meu quarto, à noite.

Sopravam um vento quente e rajadas de vento e os ramos da amoreira estavam lançando sombras em movimento contra as cortinas, era uma visão um tanto assustadora. Mas Amelia e eu entramos em tal conversa profunda que eu esqueci as sombras.

De repente, ouvimos um som de arranhar contra uma janela em uma das portas francesas. Fui até a porta, olhamos para fora e vimos uma forma agachada nas sombras. Eu quase pulei para fora da minha pele! Saltei para fora do quarto como um tiro. Amelia estava bem atrás de mim. Claro que era Joe.''

VOLTAR PARA:

Nenhum comentário:

Postar um comentário