quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

LIVRO MICHAEL JACKSON IN SEARCH OF NEVERLAND: ENCONTRANDO NEVERLAND (PARTE 1)

Em uma transação deste tipo, é importante estabelecer um inventário de tudo na casa e na propriedade que está incluso na compra, desde os ítens menores - tais como os pratos e talheres.

Michael e eu realizamos a maior parte do trabalho de inventário por nossa conta. Bill Bray ficou conosco parte da semana, mas gastou muito tempo em Los Olivos e Santa Bárbara. A paz e sossego não era o gosto de todos. Voltou à cidade tão logo inspecionou a propriedade e nos deixou com nosso trabalho.

Bill tinha nos dado uma lista do inventário de cada quarto e Michael e eu gastamos horas checando as listas e os itens que estavam incluídas. Havia muitas indas e caras antiguidades na casa que tinham sido importadas  de todas as partes do mundo. A lareira da suite principal foi trazida de Roma, Itália. Eu tive a tarefa de completar a lista do que era para ser incluída e o que era para ser excluída da venda.

Enquanto eu trabalhei duro fazendo toda a manutenção de registros, Michael insistiu em jogar comigo. Michael perguntou, "Você lembra como se joga amarelinha?"

Eu apenas balancei minha cabeça para os lados, "Não, não, eu não sei como!"

E brincar de esconde e vai buscar?" Michael implorou-me rindo.

"Sim, é um jogo que eu sempre venci com meus irmãos e irmãs. Mas, deixe-me esconder primeiro e eu aposto que você não vai ser capaz de me encontrar," eu respondi.

Michael saltou no alto rindo dizendo: "Este será o dia!"

"Dê-me cinco minutos  para esconder enquanto você vira as costas para mim, com os olhos vendados e, a seguir, tenta me encontrar!" eu ri.

Michael aceitou meu desafio com um muita fanfarronice, pisando assim eu pudesse assegurar que a sua badana preta estava em seus olhos. Então, eu exclamei, "O tempo começa agora!" E eu fugi tão rápido quanto minhas pernas podiam me levar na densamente arborizada Floresta Nacional dos Padres. Rapidamente me escondi atrás de um pedregulho na esperança de que Michael não me encontraria rastreando as marcas dos passos no chão. Passados vinte minutos, eu comecei a retornar ao lugar onde eu tinha visto ele pela última vez. Não, ele não estava em nenhum lugar perto daquela área, então, eu comecei a  entrar em pânico porque ele podia ter se perdido dentro da floresta.

De-repente, quando eu comecei chamar seu nome, ele saltou do nada como uma gazela e me deu um tapinha  nas costas. Oh, ele me deu um choque assim! Eu gritei de alegria por nós finalmente termos nos encontrado. Claro, ele venceu o jogo de esconde e aparece. Apesar de eu fosse mais velha que ele por três décadas, ele trouxe a criança em mim jogando jogos.

Michael decidiu que iria experimentar suas habilidades de equilíbrio ao subir nas cercas e caminhar ao longo delas como se ele estivesse em uma trave de equilíbrio. Eu continuei lembrando ele que não havia ajuda médica ao redor e ele tinha uma turnê mundial começando em poucos dias. Ele estava corajoso e quanto mais que eu protestava, mais ele queria fazer alguma coisa.

Era muito interessante ajudá-lo a tornar-se familiar com o rancho e aprender cada pedra, cada córrego, cada primavera, e cada cachoeira. Havia a Ponte de Londres que Michael gostava muito que nós nos sentávamos. Havia jardins plantados ao redor da mansão de cada estação do ano, então, haveria sempre um jardim em flor; aquilo realmente emocionou Michael porque ele amava muito as flores.

Quando nós permanecemos no rancho, nossa primeira noite, eu perguntei a ele, "Michael, por que você gosta tanto de animais?"

Michael respondeu, "Porque eles curam e são criaturas de Deus. Eles estão até mesmo na Bíblia. Eu posso recitar para você o Salmo 148 que diz, 'Pequenos animais selvagens e pequenas criaturas e pássaros voando, louvor ao Senhor.' Nós podemos louvar ao Senhor assim como os animais fazem na natureza." 

"É lindo Michael, " eu disse.

"Havia sempre uma Bíblia em meus quartos quando eu viajava ao redor do mundo," Michael continuou. "Por vezes eu me sentia terrivelmente sozinho. Bill Bray sentia-se obrigado a trancar-me em meu quarto para me proteger e não me deixava sair para fora do quarto, ou deixar-me ir para a rua sozinho. Eu queria fazer isso em muitas ocasiões. Ele não me deixava. Eu sentia que deveria obedecê-lo porque eu o via como um pai. Ele é meu segurança e estou acostumado com ele tomando certas decisões sobre minha segurança."

Oh bem, eu penso que é importante que ele tente proteger muito você. E ele realmente é interessado em sua segurança, para não mencionar o fato que alguém pode, na realidade, sequestrar você para pagamento de resgate," eu respondi.

"Sim, eu sei Gloria, isto é por que eu não saio do meu quarto. Eu não tento fazer alguma coisa tão louca como subir por uma janela, que às vezes tenho. Eu, então, tenho que voltar à janela também."

No segundo dia, nós levantamos no rancho, e era como se Michael tivesse despertado em Las Vegas. Ele começou a falar sobre a localização do carrossel e onde a roda gigante estariam. E os cavalos - ele teria cavalos reais para as crianças andarem. Deveria ser um estilo especial de trem da Disneylandia viajando ao redor do rancho porque algumas delas (das crianças - nota do blog ) não estariam capacitadas para andar ou correr. As crianças  As crianças certamente não poderiam ir por todo o rancho a pé, uma vez que há muito para andar em 2.700 acres do rancho.

Michael estava colocando esses passeios luxuosos em voz alta, procurando minha aprovação. Em seguida ele repentinamente perguntou-me: "Que tipo de perfume você usa?"

Eu disse: "O que acontece é que eu estou usando Elizabeth Taylor's White Diamonds."

Ele respondeu: "Oh, bem, não admira que eu gosto de colocar meu nariz em seu pescoço e cheirar. É a fragância de Elizabeth Taylor."

Nós começamos a falar sobre Elizabeth Taylor, com quem ele parecia estar enamorado. Toda vez que eu mencionei Elizabeth Taylor ele caía babando, começava a cantar uma canção de amor. Michael tinha uma queda por Elizabeth Taylor, ele disse que ela era seu ideal de mulher.

Eu disse, "Há bastante diferença de idade entre você e Elizabeth Taylor. Eu sei que vocês vão ao hipódromo juntos e vocês parecem desfrutar das mesmas coisas. Eu vi você no hipódromo com Elizabeth Taylor em algumas ocasiões."

"Sim, nós dois gostamos de cavalos e animais, e nós amamos ir ao Paddock e ver os cavalos de perto. Nós amamos Hollywood Park.

Aconteceu, então, que  Elizabeth Taylor era um membro do exclusivo Turf Club de Hollywood Park, uma pista de corrida com uma glamourosa história e muitas conexões com Hollywood que remonta a sua fundação no final de 1930. Uma vez eu corri para Michael e Elizabeth no Turf Club quando fui assistir a um evento de angariação de fundos lá. 

Elizabeth Taylor e eu tínhamos nos conhecido desde o início dos anos 1950, quando eu era uma jovem atriz e ambas compartilhamos o mesmo agente, Kurt Frings, que, ocasionalmente, comprava o almoço para nós no restaurante da MGM. Elizabeth, Michael e eu tínhamos alguma coisa em comum. Nós todos tínhamos trabalhado no palco, nos filmes, e em televisão desde que nós éramos crianças.

O papel mais cativante de Elizabeth foi em "National Velvet" como uma criança. Michael a adorava e eles se identificavam um com o outro sobre o "Esporte de Reis".

Durante nossa permanência no rancho, Michael estava borbulhando como um vulcão cheio de energia com sonhos e planos como o que ele iria fazer com o lugar. Ele falou sobre como ele iria torná-lo  um santuário para crianças em necessidade, para seus queridos animais, e para ele mesmo.  

Michael sentiu que deveria construir gaiolas especiais para os animais e contratar guardiões de animais para protegê-los. Era importante os animais serem tratados de acordo com as necessidades específicas deles.

"Michael," eu disse, "Caramba, isto vai custar a você muito dinheiro para alimentar todos esses animais e, em seguida, construir seu próprio parque temático e circo. (Sob a propriedade de Bill Bone, as despesas gerais para o rancho já custava um milhão de dólares para operar e manter em cada ano.)

No terceiro dia, Michael e eu estávamos andando ao redor  do rancho quando ele decidiu abraçar uma árvore, e pular e saltar sobre as plantas diferentes e cercas. Ele realmente era maravilhoso e deveria ter sido um acrobata. Ele era tão cheio de energia - sempre cantando e dançando ao redor.

Enquanto dançava ao meu redor, ele me pediu para eu fechar meus olhos, e eu fiz como ele pediu, "Agora," ele disse, "tente imaginar o mais lindo circo que você tenha assistido e o mais lindo parque e zoológico. Tente imaginar a cena e descreva-a para mim. Diga-me o que eu devo fazer e como eu deveria começar tudo isso."

Eu disse: "Michael, eu não tenho a mesma imaginação que você tem. Eu teria que sentar e desenhar alguma coisa e tentar descobrir como um jogo de palavras cruzadas. Eu não sou tão ágil como você. Estou mais preocupada com os desafios financeiros que seguirão. Eu estou pensando sobre o aspecto prático de se possuir um lugar tão grande e levar por si mesmo com todas as despesas envolvidas, cada gaiola e tudo o que você faz custa toneladas de dinheiro."

Michael respondeu, "Glória, por favor, não pense sobre dinheiro. O Senhor irá providenciar. Eu sei que o Senhor irá providenciar. Você tem que acreditar que o Senhor irá trazer-nos tudo que nós precisamos. E não é tão selvagem pensar sobre ter animais para curar, e não é tão selvagem criar um santuário para os animais e um lindo paraíso para crianças que são saudáveis, e crianças que são doentes e de outra forma nunca poderia ter o privilégio de estar nesse rancho. Eu realmente quero fazer isto, Gloria. Mas, lembre-se que isto é um mais alto segredo entre você e eu.

Durante esta semana nós passamos juntos inspecionando o rancho, nós discutimos a vida da família Jackson em Gary, Indiana. Michael disse que ele ainda lembrava o pequeno bangalô em que a família dele vivia, e o  apertado Volkswagen em que eles todos tinham viajado. Ele lembrava de muitos dos momentos difíceis da infância. Michael disse: 

"É por isso que eu defini estes altos padrões e metas para mim mesmo, a fim de alcançar as pessoas com fé e coragem. É por isso que eu quero dançar, cantar e escrever."

Ele tinha grande orgulho de seu passado de Jackson 5 e grandes planos para o futuro:

 "Eu me sinto realizado, Gloria, como nunca antes, porque eu tenho alcançado alguns dos objetivos da família," Michael Jackson sussurrou para mim.

Fiquei surpresa que ele estava falando tão intimamente comigo porque normalmente homens não dizem tudo o que eles pensam, e Michael estava abrindo seu coração e alma para mim sobre seus sentimentos mais profundos.

Michael e eu discutimos a queimadura que ele sofreu quando ele fez o comercial da Pepsi. Desde qe ele sempre usou um chapéu no rancho, ou a caminho do rancho eu perguntei:

 "Michael, por que você sempre usa um chapéu? Você parece nunca tirá-lo. Disseram-me que as pessoas ficam carecas se elas usam chapéu na cabeça o tempo todo e o cabelo delas cai. Disseram-me para não usar um chapéu."

Michael riu e respondeu, "Eu quero mostrar a você que meu cabelo voltou a crescer e eu não tenho cicatrizes da queimadura. Estou bem.

Ele tirou o chapéu e se inclinou em direção a mim. "Isto aconteceu há mais de um ano e meio e agora estou me sentindo bem. Não há nada errado e eu estou satisfeito."

Eu olhei em sua cabeça e examinei seu couro cabeludo. Estava todo curado. 

"Você pode tocar-me," Michael disse. "Você pode tocar meu couro cabeludo. Você pode ver por você mesma que eu estou curado. Eu só estou louvando ao Senhor que tudo saiu do jeito que fez, ele continuou. Eu tenho muita sorte. Eu não tenho nenhuma cicatriz daquele horrível acidente."

Eu esfreguei seu couro cabeludo e sua cabeça e seus ombros. Eu dei a ele uma pequena e leve massagem, e Michael riu e cantou o tema da Pepsi.  

Michael geralmente usava jeans preto, caquis, e às vezes habitual jeans, ou calças pretas com uma camisa vermelha ou branca. Ele estava sempre impecável, muito limpo, e bem elegante. Começou a maquiar-se um pouco mais fortemente depois que a cor da sua pele mudou. Michael realmente tinha vitiligo e ele mostrou manchas da enfermidade em algumas ocasiões.  Ele disse que estava indo colocar-se em tratamento porque não gostava delas (das manchas causadas pelo vitiligo - nota do blog). Em seguida, ele comparou a cor da minha própria pele com a sua.

Michael também comparou seu nariz com o meu. De-repente, ele me perguntou, "Quem fez seu nariz?"

"Ninguém, esta é a forma que eu nasci." eu respondi.

Michael disse, "Você se importaria de ir comigo quando eu remodelar meu nariz?"

Eu respondi, "Eu ficaria satisfeita de ser seu modelo apesar de eu pensar que você tem um lindo nariz que se adapta perfeitamente aos seu rosto.

Michael respondeu, "Eu ainda vejo meu nariz como muito maior do que eu quero! " Entretanto, Michael nunca me chamou para configurar o modelo do meu nariz para o seu médico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário