sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

LIVRO MY FAMILY, THE JACKSON'S - CAPÍTULO 8 / PARTE 2 (BY KATHERINE JACKSON)


Casado com a filha do presidente de sua gravadora a qual seus irmãos estavam deixando, Jermaine estava em uma posição difícil. Se ele decidisse ir com seus irmãos para Epic, ele iria perturbar Hazel e Sr. Gordy. Se ele decidisse permanecer na Motown como artista solo, ele iria perturbar Joe, eu e os meninos. No final, Jermaine chateou sua família.

Quando Jermaine explicou a mim e a Joe que ele sentia que devia sua lealdade primária para a Motown por dar ao Jackson Five sua primeira chance, Joe ficou furioso.

"É o meu sangue correndo em suas veias, e não o de Berry Gordy", ele invadiu.

Quando Jermaine acrescentou que foi o Sr. Gordy "que colocou bifes na nossa mesa e dentes em nossas bocas", eu falei.

"Nós já estávamos comendo bifes em Gary. E se é verdade que Sr. Gordy nos emprestou o dinheiro para comprar as coroas para os dentes que Jackie e Tito tinham quebrado, ele recuperou esse dinheiro centenas de vezes."

Mas a decisão de Jermaine era final, e a família Jackson sofreu através da sua divisão, pela primeira vez.

Marlon: ''Na verdade, eu respeitava a decisão de Jermaine. Ele tinha que fazer o que ele achava que era melhor para sua vida. Eu só não gosto da maneira como ele fez as coisas, e eu vou dizer a ele hoje. Tivemos um show da família para fazer em Nova York, em Westbury. No dia do show, ele nos informou que ele não iria no palco, porque Berry Gordy tinha dito a ele: Não faça o show. Lembro-me do resto de nós, dizendo: "Ok, então, se essa é a maneira que você sente, tudo bem. Mas estamos indo para nos apresentar. "Nós recrutamos o melhor músico da orquestra para fazer o show com a gente.''

Por vários meses após a sua decisão, eu era a única a quem Jermaine chamaria. Ele sabia que eu iria ouvi-lo, e eu o fiz. Eu disse a ele que eu entendia a posição difícil em que estava e que eu o amava, apesar da decisão que ele havia tomado.... mesmo que por dentro eu ainda estava sofrendo com isso.

"Bem, eu espero que o meu pai e meus irmãos não tenham nenhum ressentimento sobre o que eu fiz", disse ele durante uma conversa. Eu disse a ele que não o fizeram. Mas o fato é que seis meses se passaram até que eles começaram a falar uns com os outros novamente.

Fazendo esse período em nossas vidas ser tudo mais difícil, foi a decisão da Motown em processar a CBS Records e os Jacksons em 20 milhões de dólares durante a saída do grupo.

Em sua ação, a Motown alegou que havia sido prejudicada, na medida em que a Epic Records havia anunciado os meninos antes do contrato do grupo com a Motown ter acabado, prejudicando assim, as vendas de seu álbum do Jackson Five de 1975, Moving Violations.

Motown também ganhou uma liminar que nos impedia de continuar a usar o nome Jackson Five. Isso me preocupou ainda mais do que o valor da ação.

"Como pode Berry Gordy manter o nome quando ele nem sequer deu esse nome aos meninos?" eu perguntei a Joe, ingenuamente.

A resposta: Motown tinha incluído uma cláusula no contrato dando-lhe a propriedade para o nome. Estava nas ''letras miúdas'' e nós o perdemos!

A disputa com a Motown bateu um verdadeiro ponto baixo, quando o vice-presidente da empresa, Michael Roshkind, ameaçou formar um novo ''.... Jackson Five. Nós podemos fazer o que quisermos com [o nome]", disse ele. "Há/ havia 40.000 Jacksons correndo por aí, e nós não só fizemos os cinco deles estrelas, nós o colocamos em sua própria casa, pagamos por sua educação - e trabalhamos um ano inteiro com eles, antes de seu primeiro disco."

Isso foi duro. Todos os meninos sentiram o impacto da saída de Jermaine do grupo. No entanto, a primeira vez que os meninos se apresentaram sem ele - no show da família em Westbury - eles ganharam quatro ovações. Marlon cantou peças antigas de Jermaine esplendidamente, Randy bateu os bongôs e Michael cantou e dançou com maior entrega do que nunca.

Joe não perdeu tempo, colocando os meninos no estúdio para gravar seu primeiro álbum para a Epic. A empresa selecionou a conhecida equipe de roteiristas de produção de Kenny Gamble e Leon Huff para trabalhar com meus filhos.

Gamble e Huff compuseram sucessos para uma série de artistas, e começaram a escrever um para os meninos: Enjoy Yourself. Eu realmente gostei dessa música, bem como de todo o álbum, intitulado simplesmente The Jacksons. O som de Gamble e Huff era maduro e elegante.

Eu gostei ainda mais de Going Places, o segundo álbum dos meninos gravados com Gamble e Huff. Eu particularmente gostei da mensagem da música Man of War, um apelo pela paz.

Motown tinha mantido os garotos longe desse tipo de material, o termo Força Negra estava em voga no início dos anos setenta, e eu tenho certeza que o Sr. Gordy não queria que meus filhos fossem associados com qualquer música ou declaração que poderia ser interpretado como soando política ou pior, militante.

Na época, eu concordei. No entanto, em 1977, cantar mensagens em suas canções era, em minha mente, um outro exemplo de maturidade dos meus meninos. Infelizmente, o público não partilhou do meu entusiasmo por The Jacksons ou Going Places. As vendas foram decepcionantes.

Tito: ''Todas as pessoas, de repente, estavam nos dizendo que a nossa carreira estava terminada.''

Também ouvimos quão tolos os meninos tinham sido em deixar a Motown. No entanto, Motown não parecia exatamente estar realizando maravilhas com Jermaine no momento.

My Name Is Jermaine, seu primeiro álbum solo desde que havia deixado seus irmãos, teve vendas decepcionantes, apesar da promessa de Berry Gordy para a imprensa que a Motown estava indo para torná-lo um superstar. O single de Jermaine, Let’s Be Young Tonight Flopped, fracassou.

Meus meninos tiveram um longo prazo, um prazo mais longo que eu sempre sonhei, eu pensei na época. Será que o que os "especialistas" estão dizendo é verdade? Que eles estão passando? Michael não duvidou de si mesmo ou de seus irmãos nem por um segundo.

"Não se preocupe, mãe" ele me disse, quando eu expressei minhas preocupações com ele. "Nós estaremos de volta ao topo, de novo."

Joe e os meninos tinham um plano.

Joe e Michael revelaram o plano em uma reunião de um dia, em 1978, com Ron Alexenburg, o executivo da CBS Records, que assinou o Jacksons com a Epic. O plano era simples: os meninos sairiam de suas baixas nas gravações escrevendo e produzindo seu terceiro LP por si mesmos.

Seu argumento para o Sr. Alexenburg era justo e simples: ''Gamble e Huff deram o melhor de si ao grupo, mas as coisas não funcionaram. Nós podemos fazer melhor."

Joe e Michael não estavam pedindo ao executivo da CBS Records para dar um salto total de fé em conceder-lhes o seu desejo. Sr. Alexenburg podia ouvir o desenvolvimento dos meninos como compositores e produtores das quatro canções que tinham contribuído para os dois álbuns que tinham gravados com Gamble e Huff.

Os meninos estavam especialmente orgulhosos de Different Kind of Lady, uma colaboração do grupo. Eles tiveram que lutar pela sua inclusão em Going Places - apesar de suas palavras iniciais em contrário, Gamble e Huff nunca realmente mostraram muito interesse nas músicas dos meninos - então os meninos sentiram uma satisfação especial quando a música tornou-se uma faixa popular nas discotecas.

Para nossa satisfação, Ron Alexenburg concedeu o desejo a Joe e aos meninos. Ele fez apenas um pedido: que os funcionários da CBS - Bobby Colomby e Mike Atkinson - fossem autorizados a supervisionar o projeto como produtores executivos do álbum. Joe e os meninos concordaram.

Randy: ''Nós, como seres humanos, não conhecemos nossas habilidades. As únicas vezes que nós sempre parecemos nos estender é quando estamos sendo testados. Durante o nosso próprio álbum foi o maior teste para os meus irmãos e eu. Os meninos não faltaram em material. Eles estavam escrevendo músicas desde o início de sua carreira na Motown e, de acordo com Tito, ''guardando-as em nosso banco pessoal." Eles tiveram também uma boa dose de experiência na gravação de suas músicas no estúdio que tínhamos em casa. Até então, Jackie, Tito e Marlon também tinham construído estúdios em suas casas.''

Marlon: ''Nós fomos para o estúdio com a atitude: "Vamos mostrar a todos que não estamos acabados."

O álbum acabou por ser um verdadeiro esforço do grupo. Cinco das oito canções foram co-escritas por todos eles. Os meninos também desenvolveram uma maneira inteligente de "mixar" cada uma das músicas juntos.

Marlon: ''Dois de nós ficariam na mixagem de uma determinada canção. Quando a mixagem fosse feita, o restante de nós ouviria com os nossos ouvidos frescos, fazendo todas as mudanças que achássemos que fossem necessárias. Repetimos esse processo para cada uma das músicas, e funcionou muito bem.''

O fruto do seu trabalho era Destiny, lançado no outono de 1978. Ele foi elogiado por críticos como 'a maioridade musical dos Jacksons'.

Eu adorei. Mas da minha primeira audição, eu me senti ansiosa. ''A Epic irá promovê-lo?'' Eu me perguntava. Como os compradores de discos obteriam a palavra que este era um grande álbum? Eu fiquei ainda mais ansiosa quando o primeiro single do álbum, Blame It on the Boogie, a única música que os meninos não tinham escrito, fracassou.

Randy: ''Nós dissemos à CBS: "Não, não, não, não coloquem Blame It on the Boogie; coloquem Shake Your Body (Down to the Ground), que Michael e eu tínhamos escrito. Mas a CBS amava Boogie também, eu acho que eles ainda não acreditavam em nós cem por cento.''

Felizmente, Shake Your Body tornou-se o segundo single do álbum. Ele fez muito bem, atingindo o número sete na parada pop da Billboard.

Randy: ''Na verdade, essa música deveria ter sido a número um. Ela vendeu dois milhões de cópias, um número alto para um single. Mas eu não acho que a rádio pop ou a imprensa estivessem prontas para aceitar o nosso retorno, ainda.''

Mas o público estava. Destiny, no final, ganhou Platina dupla. Como Destiny rodou alto nas paradas nos primeiros meses de 1979, os Jacksons se apresentaram na Grã-Bretanha, Europa e África, as ''primeiras pernas'' em sua turnê mundial naquele ano.

''Que título positivo para seu álbum!'' eu pensava, enquanto refletia sobre os meninos. ''O retorno à ribalta pop.''

Como se viu, Destiny passou a ser uma palavra que poderia também se aplicar a Michael ressurgindo como um talento solo.''

Tradução: Rosane - blog Cartas Para Michael

VOLTAR PARA

Nenhum comentário:

Postar um comentário